Casa da Sogra - Aqui vale falar de tudo!


POIS É...

Ha exatos três anos, oito meses e dezesseis dias, escrevi, em despedida, o texto abaixo “TALVEZ A GENTE SE ENCONTRE” ... e isso até se verificou, com poucos. Aconteceram em encontros pelos orkuts, twiters, facebook e outras esquinas desse mundo virtual. Encontros rápidos, impessoais. Ainda bem que nenhum no além, mesmo que virtual, nada de além...

Naquela data percebi que o blog não estava mais trazendo alegrias como antes, mudei eu ou mudaram os amigos e os frequentadores, não sei, quer dizer, sei sim:

Claro que foi em mim a mudança. Afinal, muitas vezes deixei uma atividade que me foi prazerosa por um tempo... acho que umas dez vezes, mas várias delas retornei após algum tempo e com a mesma alegria e vontade de antes.

Nesses últimos dias senti saudades e tenho vindo visitar meu blog, li todos meus textos publicados. Alguns me surpreenderam de alguma forma, pois ao ler, duvidei que haviam sido escritos por mim. Tive surpresas agradáveis e outras que até me envergonharam de tão ruins. Em alguns identifiquei a Hilda de quase quatro anos atrás e que hoje já é outra. Os comentários que também li, despertou saudades dos amigos, muitas saudades.

Comprovei a mudança ao ler minhas reflexões onde percebi meus desejos, minhas mágoas, minha busca na época. Não que tenha acontecido troca de valores ou desilusão, ou desanimo. Percebo que hoje estou mais determinada, o que antes era como que devaneio ou anseio, hoje é realidade, hoje sei bem quem é a Hilda e o que ela quer. Hoje sei onde está a felicidade e como encontrá-la e vivê-la, mas não sei se conseguirei escrever sobre ela...

TALVEZ A GENTE SE ENCONTRE NA FELICIDADE



Escrito por Hilda às 01h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 

Onde Estou

BRASIL, Sudeste, SANTOS, APARECIDA, Mulher



UOL
Histórico


Outros sites
 UOL - O melhor Conteúdo
 BOL o email grátis
 A BUSCA
 A FOTOGRAFIA
 Arca Literária ~ Download de Livros
 ART & DESIGN
 DE CARA PRA LUA
 MULHERES DE PRETO
 POR ENTRE PÉTALAS
 POR UM FIO
 SOLTA NO MUNDO
 UM POEMA DE VEZ EM QUANDO