Casa da Sogra - Aqui vale falar de tudo!


NOVA CASA DA SOGRA

http://casadasogranova.blogspot.com.br/

VISITE!



Escrito por Hilda às 16h41
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


TUDO NA VIDA TEM UMA RAZÃO PARA ACONTECER

Depoimento 

 

 

Os momentos felizes e os tristes, os acontecimentos prazerosos e os sofridos, as escolhas certas e as erradas. Todos, absolutamente todos, deixam marcas, umas que com suas lembranças nos completam nos momentos em que a vida parece vazia, outras que com suas dores e tristezas, nos ensinaram, nos fortaleceram, forjaram e lapidaram nosso ser.

Hoje sei que não é acaso, intuição, coincidência, sorte, muito menos destino, no qual nunca acreditei. Por muito tempo, nos meus sucessos, me considerei intuitiva ou (sem modéstia) inteligente, até mesmo poderosa! Nas derrotas e nos erros, simplesmente procurei culpados ou me assumia péssima, nem me encarava no espelho.

Por anos procurei respostas, observei todas as conseqüências dos meus atos, dos meus acasos e das minhas escolhas e, lentamente, senti que acima de nossa vontade, existe uma Força Superior que nos guia e nos protege e que, o que pensei terem sido escolhas erradas foi às vezes em que fui instrumento da misericórdia Divina para alguém. Sim, porque uma das escolhas que mais lamentamos são os insucessos em relacionamentos de qualquer espécie, não é?

Os erros, ah... os erros, os cometi e cometo sempre que sou surda à sabedoria de Deus que está ao nosso alcance, lá no centro de nós mesmos. É difícil ouvi-Lo, há muito barulho e interferências ao nosso redor e em nossas emoções, mas aos poucos vou conseguindo.

Foi por essas reflexões e conclusões, que no “post” anterior escrevi:

Hoje sei onde está a felicidade e como encontrá-la e vivê-la, mas não sei se conseguirei escrever sobre ela...

Será que consegui?

 



Escrito por Hilda às 02h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


POIS É...

Ha exatos três anos, oito meses e dezesseis dias, escrevi, em despedida, o texto abaixo “TALVEZ A GENTE SE ENCONTRE” ... e isso até se verificou, com poucos. Aconteceram em encontros pelos orkuts, twiters, facebook e outras esquinas desse mundo virtual. Encontros rápidos, impessoais. Ainda bem que nenhum no além, mesmo que virtual, nada de além...

Naquela data percebi que o blog não estava mais trazendo alegrias como antes, mudei eu ou mudaram os amigos e os frequentadores, não sei, quer dizer, sei sim:

Claro que foi em mim a mudança. Afinal, muitas vezes deixei uma atividade que me foi prazerosa por um tempo... acho que umas dez vezes, mas várias delas retornei após algum tempo e com a mesma alegria e vontade de antes.

Nesses últimos dias senti saudades e tenho vindo visitar meu blog, li todos meus textos publicados. Alguns me surpreenderam de alguma forma, pois ao ler, duvidei que haviam sido escritos por mim. Tive surpresas agradáveis e outras que até me envergonharam de tão ruins. Em alguns identifiquei a Hilda de quase quatro anos atrás e que hoje já é outra. Os comentários que também li, despertou saudades dos amigos, muitas saudades.

Comprovei a mudança ao ler minhas reflexões onde percebi meus desejos, minhas mágoas, minha busca na época. Não que tenha acontecido troca de valores ou desilusão, ou desanimo. Percebo que hoje estou mais determinada, o que antes era como que devaneio ou anseio, hoje é realidade, hoje sei bem quem é a Hilda e o que ela quer. Hoje sei onde está a felicidade e como encontrá-la e vivê-la, mas não sei se conseguirei escrever sobre ela...

TALVEZ A GENTE SE ENCONTRE NA FELICIDADE



Escrito por Hilda às 01h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


TALVEZ A GENTE SE ENCONTRE...

Num encontro marcado,

Ou numa esquina da vida

Ao acaso.

Quem sabe no ocaso.

Ou no sonho,

Ou no além...

 

Que fiquem minhas pegadas,

As marcas que deixei,

Guarde as que avaliaste boas

E as ruins, deixe o vento apagar.

 

Até um dia...

 



Escrito por Hilda às 23h18
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


E AGORA JOÃO?

O tempo criança acabou e nem gastou todas lágrimas. E agora João, vai chorar essas lágrimas ou vai levar pro caixão? Chora João, chora, vai ficar mais leve, vai reviver a criança, chora João.

 

E agora João?

A juventude se foi e deixou sonhos juvenis. E agora João, vai buscar os sonhos ou vai jogá-los ao chão? Sonha João, sonha, vai viver mais feliz, vai relembrar o jovem, sonha João.

 

E agora João?

O final deixou gosto amargo. E agora João, vai procurar caminhos ou vai aceitar a desilusão? Muda João, muda, vai se fazer mais forte, vai se aprender, muda João.

 

E agora João?

O amor eterno acabou. E agora João, vai recomeçar ou vai viver sem paixão? Ame João, ame, vai ser feliz de novo, vai se entregar verdadeiro, ame João.

 

E agora João?

A velhice chegou de repente. E agora João, vai viver a maturidade ou vai clamar por compaixão? Viva João, viva, vai estar no futuro do passado, vai colher o que plantou, viva João.

 



Escrito por Hilda às 23h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


DANCEI...

Dancei, dancei e dancei...

 

E pelo chão esvoacei,

Rodopiei,

Rodopiei e de exaustão cai,

Cai ao chão.

Ao chão pelos anjos clamei,

E chorei,

Chorei e novamente dancei.

 

Dancei, dancei e dancei.

 

Flutuei,

Flutuei e voei

E ao céu cheguei.

Cheguei e procurei,

Procurei e aos anjos perguntei,

Onde está o que encontrei,

Em tempos que amei.

 

Dancei, dancei e dancei.

 

E a terra retornei,

Retornei e entendi

Que realidade ao anjo mostrei,

Realidade esquecida.

Agora revivida.

 

Dancei, dancei e dancei.

 

O amor reencontrei,

Reencontrei e compreendi,

Não estar abandonada.

E sim... muito lembrada.

Amada.

 

E dancei, dancei, dancei ...

 



Escrito por Hilda às 23h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


IGUAL À SEGUNDA-FEIRA...

É ir ao dentista.

É cerveja morna que na sede engole-se e até agradece.

É comida sem temperos.

É sexo sem amor e sem atração.

É dirigir carro em dia de chuva.

É dizer não querendo dizer sim.

É rir das piadas sem graça do chefe.

É ser educado quando se é ofendido.

É olhar o ponteiro da balança.

É aceitar o imutável que te entristece.

Resumindo... é tudo que for desagradável, mas necessário.

 

Mas a segunda-feira também pode ser...

 

Um novo tempo que se inicia.

A realização do que se planejou.

A vitória da vida.

Uma surpresa como qualquer outro dia.

A expectativa que antecede o prazer do final da semana.

Pode até ser, o dia mais feliz da sua vida!

 

Segunda-feira, o modo de vivê-la só depende de você, se a quer feliz, veja as felicidades dela, passeie por ela, livre e leve, sem comparações ou com pré-concepções desfavoráveis. Enfrente-a que ela se intimidará e o alegrará!

 



Escrito por Hilda às 23h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


PORQUE SOU MULHER...

Muito bom ser mulher!

Sou mulher por isso posso chorar quando a emoção pedir; posso ser sensível e também vaidosa. Posso ter, no sexo, a volúpia que quiser mostrar. Posso ter todos os “xiliques” que quero ou forem necessários. Posso ser intuitiva e arriscar sempre. Posso mudar de penteado, de estilo de roupa. Posso fazer todas as manobras possíveis no trânsito. Não troco pneus de carro e não conserto nada. 

 

Juro que não vou falar de modo enaltecedor, em poder gerar no ventre um ser e dar a luz a ele. Isso é conversa para poetas. Vou dizer que sim, é uma experiência maravilhosa, mas aplaudo as palavras da Madona após o nascimento de sua primeira filha: “A natureza fez uma terrível sacanagem com as mulheres!”. 

 

Posso educar filhos homens para serem sensíveis, e filhas mulheres, prontas para enfrentar o mundo. E para todos os filhos, também posso indicar o caminho da ética, da bondade, do amor.

 

Também posso assistir novelas, chorar com histórias tristes e discutir economia, ser racional e romântica ao mesmo tempo. Posso gostar de futebol e de fazer tricô. Posso sim, entender e gostar de política e de fofocas e papo furado e fútil, com as amigas. Posso ser misteriosa, é sugestivo. Posso ser mística. Posso ler horóscopos. Posso ler todas as revistas, femininas, masculinas, de negócios e de atualidades.

 

Ser mulher é ter perseverança, dedicação, lutar com garra e fazer o que for preciso pelo que quer. É perceber o momento certo, necessário, para usar manhas e artimanhas, ser frágil e dengosa. É saber receber amor, saber acreditar nele, e conseguir não ficar pedindo confirmação desse amor (será mesmo?).

 

Quer saber? Cansei de escrever porque se continuar, preencherei páginas e páginas ...

 



Escrito por Hilda às 00h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


AGRADECIMENTOS

Quero agradecer à vida, mas não vou ficar agradecendo saúde, acertos, sucessos, amores...nada disso, bem ao contrário.

 

Agradeço os erros, sim erros, pois eles me ensinaram a acertar.

Agradeço as traições que me mostraram realidades.

Agradeço a dor que me ajudou a valorizar momentos sem ela.

 

Vida, obrigada pelos tempos de tristeza, depois deles vivo intensamente os felizes.

Vida, obrigada pelas ofensas que recebi, pois me ensinaram a ser paciente.

Vida, obrigada pelos desamores que valorizaram os amores.

Vida, obrigada pelas doenças, pois aprendi a cuidar da saúde.

 

Obrigada inimigos! Vocês me ensinaram a amar amigos!

Obrigada chuva que me faz amar o sol!

Obrigada derrotas que incentivaram minhas vitórias!

Obrigada cor cinza por me mostrar a beleza das cores.

 

Valeu rotina! Para fugir de você desenvolvi criatividades!

Valeu obrigações maçantes! Por vocês as horas de laser ficaram sublimes!

Valeu trabalho, você criou o prazer do descanso!

Valeu maturidade, vi que me manter criança é necessário!

 

Vida, obrigada ... Vida valeu... agradeço pelas lições!

 



Escrito por Hilda às 10h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


COMO DEFINIR...

O infinito.

O sabor da Coca-Cola.

A esperança sem otimismo.

O agora, se cada segundo é um agora.

O amor.

A crueldade não sendo loucura.

O perfume da rosa.

A sensação da cor.

O espírito.

A extensão de um amor.

O prazer do chocolate.

A atração entre dois seres humanos.

O amanhã

A loucura.

O deslumbramento.

A medida da inteligência.

O inacessível.

A consciência.

O oculto.

A inspiração.

O ser humano.

A preferência da maioria, diferente da nossa.

 

Inexiste um projeto básico para o homem verdadeiro, uma essência definidora do homem, porque cada um se define a si mesmo e assim, é uma verdade para si.”

 

Soren Aabye Kierkegaard , filósofo dinamarquês (1813-1855)

 



Escrito por Hilda às 23h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


DEPOIS DA FESTA

Antes do grande acontecimento é dedicação exclusiva, é eterno pensar em detalhes que agradam e dão prazer, é sonhar com a felicidade, é fantasiar loucuras.

 

A festa acontece esplendorosa, alegria fácil, felicidade imensa, é viver intensamente todos os momentos.

 

Até o adeus que finaliza a festa.

 

Ao olhar os restos da festa, como terra ressequida, extenuada e com pouca vida, o espírito sente os primeiros sinais da partida da companheira dos dias de preparação e do dia da realização, a euforia.

 

O despertar para a nova realidade traz o desânimo extenuante, como se algo tivesse sido arrancado do âmago. As mãos se mostram vazias, o pensamento não se fixa em nada, somente a falta do que passou se manifesta.

 

A mim, tudo que é intenso demais sobrevém o tédio quando acaba...

 

Pode ser uma festa, um projeto a ser realizado, um relacionamento...  

 

Mas o tempo destrói o tédio, restaura a vida e conserva as marcas...

 



Escrito por Hilda às 23h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


SER BELO E SER FEIO

SER BELO E SER FEIO

 

O ser é belo e o ser é feio, todos.

O lado belo resplandece e esconde o feio.

Ama-se o ser belo até o ser feio se mostrar.

E quem viu o ser feio, olvida o ser belo

Como se somente fosse um ser belo.

Não é!

Ninguém é um ser belo integralmente.

 

Ser belo é ser generoso

Ser feio é ser arrogante

Ser belo é ser indulgente.

Ser feio é ser julgador.

Ser belo é ser amor,

Ser feio é ser amor egoísta.

Ser belo é ser humilde.

Ser feio é ser presunçoso.

 

Na maturidade o ser belo e o ser feio transparecem o ser belo e o ser feio do espírito, moldado pelos ser belo e ser feio praticados pela vida. Porque esteticamente, a juventude é bela e a velhice é feia e o amor não tem idade e é a cada dia mais, um ser belo de ser...

 



Escrito por Hilda às 23h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


MINHA DIFÍCIL COEXISTÊNCIA

 

Coexistir é gratificante, alegre, feliz, mas também é sofrido. Muitas vezes me perguntei: “Se todos temos um corpo semelhante, salvo as diferenças de sexo, por que a compreensão, as reações, as emoções, as atitudes, as interpretações são exclusivas em cada um?”.

 

Deve ser por isso que criaram leis de direitos e deveres, religiões com seus dogmas, educação, cultura com toda sua gama de variedades, políticas administrativas, propriedades privadas... mas não resolvem meu problema de coexistir.  De que adiantam todas essas normas construídas se as interpretamos pelo nosso sentido? Só são respeitadas aquelas de enunciados diretos, que não sofrem a interferência da interpretação pessoal e que, em caso de desobediência, geram castigos.

 

O que mais interfere e me faz sofrer hoje, em meu coexistir, é a arrogância. O excesso de orgulho, de vaidade pessoal que levam um arrogante a se considerar apto e com direito de julgar e condenar a todos, menos a ele próprio, pois aos seus olhos, é perfeito, é digno. Sei que já fui uma arrogante, mas não das mais aficionadas, que fique claro, e só deixei de ser ao sentir tudo que a arrogância me fez perder. Derrotá-la tornou-se meu exercício diário e passei a praticar a difícil arte da humildade, um dia consigo.

 

Outro ponto que dificulta minha coexistência é a falsidade. A mentira é coisa que não aceito sob hipótese alguma. Às vezes penso que fico tão indignada com mentiras por não saber mentir, confesso que já tentei, mas me denunciei facilmente. No exercício da aprendizagem de humildade, procuro aceitar as pessoas como elas são, também entender os atos dos outros quando me atingem e procurar em mim, o que fiz para despertar as atitudes ofensivas, porque hoje entendo que ninguém me ofende porque sou boazinha. Já mentiras que descubro, pra essas não possuo um botão de controle para ser acionado, não entendo mentira e não desculpo. Mentiu, morreu na minha coexistência.

 

Amar é a melhor forma de coexistir e também um dos geradores de conflitos. É incrível como um sentimento tão prazeroso, tão sublime, tão intenso, pode trazer tanto sofrimento.

Para mim, os causadores das dores de qualquer tipo de amor são a arrogância com seu egoísmo inerente e a falsidade, por isso é que coloco sobre eles minhas dificuldades na coexistência.

 

É... mas difícil, duro, doido ou não, preciso coexistir para não criar um mundinho meu, solitário, vazio e triste...

 



Escrito por Hilda às 23h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


MEU CURRÍCULO

- Por orientação de livros e mestres, sou formada em matemática com cursos de extensão universitária e de pós-graduação.

 - Também com orientação de artistas renomados, livros e observações de obras concluí três cursos de artes visuais.

- Com orientação de duas médicas e também em livros e pesquisas pela Internet, recebi certificado de Programação Neurolinguística.

- Outros cursos de atividades variadas, como política, flores de seda, papel machê, culinária, efeitos decorativos para paredes, maquiagem... por aí.

- Atualmente participo, e sei que enquanto viver freqüentarei, o curso de Erros e Acertos, com orientação da vida.

 

Nesse curso atual sou expert em Erros. Sem falsa modéstia digo que sou das melhores alunas. Consigo erros novos, sou criativa, nunca repito os já cometidos e minha facilidade de criar não se esgota, até parece que com a prática ela fica mais atuante. Vários finais de ano letivo recebi medalha de “Honra ao Mérito” pelo desempenho. Minha média aritmética nessa disciplina está próxima da nota máxima: 9,7. Desconfio que logo chegarei à nota 10!

 

Já na disciplina Acertos, confesso que várias vezes fui reprovada e quando não acontecia a reprovação, ficava em recuperação e era no sufoco que conseguia média para ser aprovada. Minha média aritmética nessa matéria era de 3.4. Até que resolvi usar a matemática para obter acertos.

 

Passei a aplicar lógica matemática:

 

Se a = b e b = c então a = c.

 

Exemplo de um acerto usando essa lógica:

 

Se João gosta de Maria e Maria gosta de mim, então João também me gosta e como gosto de Maria e Maria gosta de João, também gosto de João. A lógica diz tudo e eu não percebia ou não queria ver. Quando conquisto o amor de alguém, tenho que levar o pacote todo e não somente o amor, e no pacote estão todas as individualidades de cada um: os amigos, as preferências, as obrigações, as manias. É verdade que se um amor gostar de dormir agarrado no lustre, ou de degustar perninhas de aranhas fritas, não irei acompanhá-lo nessas preferências, mas ouvirei os relatos de suas emoções, de seus prazeres.  

 

Se a + b = 0 então a = -b ou b = -a. Isto é, a e b são inversos.

 

João quer o amor de Maria e ao mesmo tempo não aceita sua personalidade, implica com o que chama de arrogância, com suas preferências e se esforça para modificá-la segundo sua forma de viver, enquanto Maria por sua vez, pensa que pode moldá-lo ao seu modo de vida. Claro que a soma desse João com essa Maria tem resultado nulo. Hoje, nem penso em modificar nada em alguém, se é meu inverso, dou tchau...

 

Com essas e outra lógicas e também com o olhar para as belezas do mundo igual ao que aprendi com as artes visuais, melhorei minha média de acertos que agora é de 5,6.

 

Interessados em meus conhecimentos, me contatem por aqui. Obrigada pela atenção.

 



Escrito por Hilda às 00h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


TEMPO

TEMPO QUE TE QUERO TEMPO

Hoje penso no tempo e enquanto o tempo ocupa meus pensamentos o tempo foge. Tempo é escorregadio, não consigo segurá-lo, às vezes num instante, penso que consegui e no mesmo instante, sinto as mãos vazias. Foi-se o tempo...

 

Tempo... tudo é determinado por tempo, somente ele mesmo não tem um tempo, é o tempo sem tempo de existência.

 

Agora surge uma dúvida, sem nada que determinasse o tempo, como anos, meses, semanas, dias, horas e suas frações, a vida não seria mais fácil?  Sem tempo para tudo... hora de acordar, de trabalhar, dia de contar mais um ano na idade aliás, para que idade? A claridade do sol e o tempo em que a lua clareia o céu ou mesmo sem sua claridade, somente a escuridão, todo esse tempo sem marcação de horas, com vida espontânea, livre para amar, gozar, aprender, conviver, trabalhar, cair e levantar...

 

Como é angustiante sentir que o instante passou enquanto pisquei e nesse instante, somente pisquei, e os instantes instantâneos continuam e se vão e me deixam o instante presente e somente pisco novamente e sinto a tristeza em saber que perdi instantes preciosos da minha vida, piscando. Não piscarei mais.

 

Olhos fixos, atentos, pálpebras firmes, sinto e vivo todos os instantes, nenhum mais escapa à minha observação e participação...

 

De nada adiantou, não dominei o tempo, ele continua em fuga e eu no encalço dele...



Escrito por Hilda às 23h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 

Onde Estou

BRASIL, Sudeste, SANTOS, APARECIDA, Mulher



UOL
Histórico


Outros sites
 UOL - O melhor Conteúdo
 BOL o email grátis
 A BUSCA
 A FOTOGRAFIA
 Arca Literária ~ Download de Livros
 ART & DESIGN
 DE CARA PRA LUA
 MULHERES DE PRETO
 POR ENTRE PÉTALAS
 POR UM FIO
 SOLTA NO MUNDO
 UM POEMA DE VEZ EM QUANDO